Minha trajetória nos concursos públicos

abril 04, 2017


Oi, pessoal!

 Muita gente já me conhece do instagram @magistradaemformacao, mas para quem está me conhecendo agora, me chamo Marina, tenho 31 anos e, como milhares de brasileiros, sou concurseira.

 Atualmente estudo para o concurso público da magistratura estadual. Mas iniciei minha trajetória no mundo dos concursos já tem um tempinho. Tudo começou em 2010, quando me vi recém formada e sem saber que rumo tomar. Só o que eu sabia era que não queria advogar. Talvez por sempre ter estagiado em órgãos públicos, não me via como aquela pessoa do outro lado do balcão... 

 Foi assim, então, que decidi que iria estudar para concurso. Ainda não tinha ideia de qual carreira seguir e, portanto, comecei estudando aquelas matérias bases de todo concurso público: constitucional, administrativo, civil, processo civil, penal e processo penal. Comprei um livro de cada matéria e li todos de cabo a rabo. Lia um livro por vez. Só passava para outro depois de esgotar o anterior. Depois da leitura, passei a resumi-los com a ajuda de uma amiga. Segui firme assim durante todo aquele ano de 2010, mas era um estudo sem muito método, sem muita organização, eu simplesmente acordava e estudava o que tivesse vontade naquele dia. Não tinha revisão, não tinha lei seca, quase não fazia exercícios. Era um estudo meio intuitivo, de muita e muita leitura. 

Durante aquele período, cheguei a fazer algumas provas, analista do TRT/17, analista do MPU, mas não obtive sucesso. Até que no final do ano, dois editais para carreiras que eu considerava como "escada" foram publicados aqui no meu estado: analista judiciário do TJ e escrivão de polícia civil. Me inscrevi nos dois e decidi intensificar o estudo. Imprimi o edital e fui estudando tópico por tópico do conteúdo. Continuava sem método, sem lei seca, sem muitos exercícios. Mas, naquele momento, minha base já estava formada. E deu certo. Fui aprovada nos dois concursos logo no início de 2011, dentro do número de vagas!

Preciso deixar claro que eu nunca fui uma aluna exemplar. Não era uma aluna ruim também. Prestava atenção nas aulas, fazia caderno. Me interessava sobre as matérias. Mas era daquelas que estudava apenas para passar. Fazia a prova e no dia seguinte já não lembrava de mais nada. Eu tinha potencial, mas não explorava. Confesso que muita coisa eu só fui aprender de verdade depois de formada, quando comecei a estudar para concurso. 

Com a aprovação, veio a angustia da espera da nomeação. E foi ai que eu relaxei. Me acomodei. Tentava continuar estudando. Mas já não rendia como antes. Estava cada vez mais desfocada. Sem motivação. Sem disciplina. Tudo era motivo para não estudar. Afinal, eu já tinha uma carta na manga. Logo logo ia ser nomeada. Ledo engano. A nomeação só veio em 2012. Sim, um ano para ser nomeada. Um ano praticamente perdido.

Fui nomeada primeiro no TJ e lá fiquei. Durante o período em que estive lá, continuei tentando estudar. Mas não tinha maturidade. Não conseguia conciliar. Tudo era prioridade para mim naquele momento da minha vida, menos estudar. Estudava quando dava. Dia sim, dia não. Semana sim, semana não. E o meu método de antes (leitura, leitura e mais leitura) não estava mais funcionado. Eu lia, lia, mas na semana seguinte já tinha esquecido de tudo.

Eu sabia, desde quando entrei, que não queria ficar ali para sempre. Aprendi muito lá, convivi com pessoas maravilhosas. Foi lá que o desejo de ser magistrada despertou em mim. Ver de perto como trabalhavam, como uma decisão podia mudar a vida de uma pessoa. Isso me encantava. Mas o trabalho de analista em si, não era o que eu queria. Fui me sentindo cada vez mais frustada, empacada na vida. Acordar para ir trabalhar era um sacrifício. Precisava tomar uma decisão. Foi quando decidi largar tudo. Dois anos depois. 

Muita gente me questiona se valeu a pena. E a única coisa que eu posso dizer é que "só" estudar é muito difícil. Não me interpretem mal, é uma oportunidade maravilhosa. Eu sei. Muita gente gostaria de estar no meu lugar. Não tenho dúvidas quanto a isso e sou extremamente grata a Deus e aos meus pais por ter a chance de poder me dedicar exclusivamente ao meu sonho. Mas a pressão é muito grande. Não me sinto a vontade em aconselhar ninguém sobre largar ou não uma carreira, uma estabilidade. É uma escolha muito pessoal, que precisa ser muito, muito pensada e planejada. Hoje eu vejo o quanto evolui nos meus estudos. Uma evolução que muito provavelmente não teria alcançado se ainda estivesse trabalhando. Mas, mais uma vez, isso é muito pessoal.

Três anos já se passaram desde então. E eu continuo aqui, na luta. Quando completei dois anos de estudo, em 2016, os concursos para a magistratura pararam. Eu estava batendo na trave: um ponto me tirou do TJRS e dois do TJRJ (os únicos dois certamens do ano). Foi um período de angustia muito grande. Mas 2016 me reservou uma boa surpresa. Fiz a prova da DPE-ES e consegui chegar até a prova oral. Se aprovação virá, eu ainda não sei. Mas vi minha evolução. E isso já me deixou muito feliz.

Bom, essa é a minha história. Criei o blog para facilitar a comunicação com todos os concurseiros que já me acompanham pelo instagram. Aqui espero conseguir postar melhor minhas dicas e receber também dicas de quem está nesse caminho. Vamos juntos até a posse! 

Um beijo,

Marina

You Might Also Like

10 comentários

  1. MARINA, ler esse post me fez descobrir que você sou eu! Te desejo muito sucesso, obrigada por disponibilizar um pouco do seu precioso tempo pra nos encorajar. Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Marina!
    Obrigada por compartilhar sua história.
    Estar nesse caminho não é fácil, mas é muito bom acompanhar alguém tão empenhada como você.
    Sempre retratando a realidade, seja na dificuldade ou na conquista.
    Não tenho dúvidas que sua vitória está próxima.

    Bjao

    ResponderExcluir
  3. Oi Marina, que bacana a iniciativa do blog. Realmente aqui dá pra expressar com mais detalhes os caminhos da aprovação. Sucesso pra você. Continue firme que o objetivo tá pertinho ��

    ResponderExcluir
  4. Marina, muito boa a ideia do blog. E adorei seu primeiro post aqui! Bons estudos!

    ResponderExcluir
  5. Marina, adorei o seu relato!

    A trajetória é árdua, cansativa e muitas vezes desmotivante, mas tenho certeza que quando você tomar posse (em breve), todo esforço terá valido a pena e você não se arrependerá de nenhum dos segundos que deu prioridade para o estudo... Força!! Vc está muito perto!!

    ResponderExcluir
  6. Adooorei o
    Blog! Tenho vc como
    Inspiração! Muito feliz por sua conquista ��

    ResponderExcluir
  7. Gostei das suas informações no video do Youtube, vou me inspirar.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Ai Marina! Eu me vejo perfeitamente em cada linha que você escreve, nas características pessoais, de estudo e no mais importante: a não vontade de advogar! Terminei a faculdade, tenho a OAB mas estou desesperada sem saber por onde começar... que desespero! Sempre quis a magistratura: não me pergunte porque, mas preciso trabalhar para me bancar, então vou precisar advogar para tentar um concurso que sirva de ponte pra mim. Mesmo de longe saiba que te acompanho e torço por nós todos: amantes da carreira pública! um beijo

    ResponderExcluir

Popular Posts

Follow by Email